sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Carta à população

Prezad@s,

Aliados as boas causas, o Movimento da Diversidade Sexual vem ganhando destaque no cenário nacional, e sustenta a posição de um dos movimentos sociais que mais cresce globalmente, suas bandeiras: pela igualdade de direitos, por uma sociedade não homofóbica e sem violência, por uma cultura de paz, pelo respeito a diversidade, pela dignidade da pessoa humana, são lutas que manifestam e mobilizam a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais – LGBT em todo o planeta. Estas preocupações são demonstrada em uma das mais alegres manifestações em toda a historia da humanidade, as Paradas do Orgulho Gay.

Nova Friburgo também dá sua contribuição nesta luta por um mundo melhor, demonstrando que é parte do planeta que indigna-se com as injustiças e intolerância que gera a violência cerceando a liberdade que ameaça a paz mundial.

Quando um homossexual é vitimado pela homofobia, não podemos dizer que não temos nada com isto, hoje são os homossexuais, amanhã poderá ser por qualquer outra razão, e depois as coisas ficam fora de controle. Foi assim que aconteceu na época do nazismo, enquanto não estava atingindo diretamente um grupo, ninguém se importava; depois vimos a proporção do estrago que a indiferença causou a humanidade. Pense nisto. A homossexualidade não é para ser reproduzida por qualquer pessoa que não tenha esta orientação, deve sim, ser reconhecida como mais uma orientação sexual, assim como a heterossexualidade e a bissexualidade.

O reconhecimento e o respeito às pessoas homossexuais é o ponto que vai equilibrar a convivência em uma sociedade plural. O homossexual é diferente e quer a garantia do seu direito de ser diferente.

Neste sentido, convidamos os friburguenses a darem visibilidade para a população LGBT, neste dia especial, provando que somos uma grande família humana!

No dia 22 de novembro, venha celebrar a diversidade, dizer não a homofobia e a todo tipo de preconceito e discriminação ao ser humano!

Dia 20/11 – às 19h - Palácio da Cultura

Dia 21/11 – às 9h – Usina Cultural

Dia 21/11 às 14h – Praça Dermeval Barbosa Moreira

Dia 22/11 às 13h – 5ª Parada do Orgulho LGBT - Praça Dermaval Barbosa Moreira.

“Pra não dizer que não falei das flores” – tema da Parada LGBT – Friburgo - 2009.

Vote, acesse www.nãohomofobia.com.br

Um fim de semana mais ‘colorido’

5ª Parada do Orgulho LGBT em Nova Friburgo

terá ações de lazer, cultura, educação e cidadania

(SECOM/NF) Nos próximos dias 20, 21 e 22, o respeito à diversidade sexual, assim como a cultura LGBT, será o tema da ampla programação de eventos em Nova Friburgo e que terminarão na tradicional ‘Parada do Orgulho LGBT’, que vai ser realizada pelo quinto ano, através da avenida Alberto Braune. Uma festa que costuma atrair muita gente, que aproveita o evento para manifestar seu apoio e celebrar a diversidade.

Na sexta-feira, 20, acontecerá um coquetel de abertura da programação no Palácio da Cultura, antigo Fórum Júlio Vieira Zamith, seguido de esquete teatral, show de drags queens e slide-show com vídeos; será apresentado ainda o tema da festa desse ano: ‘Pra não dizer que não falei das flores’. Homofobia, criminalização já! A música de Geraldo Vandré inspira a parada desse ano, tendo por base a triste situação da discriminação e violência contra LGBT na região e em todo País. Ainda assim, o evento reforçará a necessidade de cada um “dar a volta por cima”, e mesmo sendo alvo de discriminação, ir à luta para defender os seus direitos de amar livremente.

Enfrentando a homofobia

Um seminário pela cidadania LGBT acontecerá no sábado, 21, a partir das 9 horas, na Usina Cultural Energisa. O tema inicial será ‘Enfrentando a homofobia, discutindo as sexualidades e promovendo a cidadania LGBT’, que será iniciado com o café da manhã da diversidade, após o qual terá sequencia o tema principal do evento ‘Pra não dizer que não falei das flores. Homofobia, criminalização já!’, além de oficinas com o grupo Arco Íris, do Rio de Janeiro.

Ainda no sábado, a partir das 13 horas, na praça Dermeval Barbosa Moreira, acontece também a Feira ‘Mover-se’ pela Cidadania, com espetáculos de drags, a cantora de MPB Manu, djs, e atrações convidadas do Rio. O Ônibus da Saúde estará no local distribuindo informativos sobre saúde e cidadania LGBT, preservativos e fazendo a vacinação contra hepatite B.

A partir das 22 horas, ainda do sábado, começam os agitos com a Festa Oficial da 5ª ‘Parada do Orgulho LGBT’ de Nova Friburgo, na quadra da Unidos da Saudade, com djs, drags, gogo boys, gogo girls da cidade e do Rio. Somente para este evento será cobrado ingresso, sendo que a classificação etária é de 18 anos.

O ponto máximo será, no domingo, 22, na praça Dermeval Barbosa Moreira, a partir das 13 horas, com a concentração da Parada do Orgulho LGBT de Nova Friburgo, trio elétrico, djs e drags cariocas, delegações de ativistas dos municípios do Estado, presença de artistas, personalidades e autoridades.

Contra a discriminação

Todos os eventos estão relacionados às reivindicações dos gays, lésbicas, travestis e transgêneros, entre as quais se destacam: a aprovação do projeto de lei Nº 122/06, que criminaliza a homofobia, equiparando-a ao crime de racismo, uma lei municipal contra a discriminação a LGBT e a favor de políticas públicas municipais de defesa e garantia dos direitos LGBT.

As festividades da 5ª Parada do Orgulho LGBT são realizadas pelo Movimento da Diversidade na Serra - Mover-se, com apoio da Prefeitura Municipal de Nova Friburgo, através do Centro de Referência Hanna Suzart, grupo Arco-Iris, Secretaria Estadual de Assistência Social e de Direitos Humanos, através da Superintendência dos Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, da Coordenação Municipal de Prevenção de DST/AIDS de Nova Friburgo e da Fundação Cultural Ormeu Junqueira Botelho.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Programação da da 5ª Parada do Orgulho LGBT de Nova Friburgo

Programação:

  • 20/11/09 (sexta-feira) - Coquetel de abertura no Palácio da Cultura com show musical e exposição – das 18h às 22h.

  • 21/11/09 (sábado) - Feira Cultura com tendas e atividades diversas - Praça Dermeval Barbosa Moreira - das 13h ás 22h.

  • 22/11/09 (domingo) - Parada com o trio elétrico - concentração na Praça Dermeval Barbosa Moreira e segue cortejo pela Av. Alberto Braune até a Prefeitura Municipal - das 11h ás 22h.

Programação sujeita a alteração.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Para do Rio 2009

4ª PARADA LGBT DE DUQUE DE CAXIAS


15/11– 4ª PARADA LGBT DE DUQUE DE CAXIAS

Mais de cem mil pessoas são aguardadas na Av. Brigadeiro Lima e Silva, celebrando a vida, o amor e a diversidade.

Vários Trios, Dj´s, artistas e surpresas.

Horário a partir das 14 horas


Quer saber mais dos eventos?

GPD - Av Brigadeiro Lima e Silva nº 2036 - sala 402 Dq. Caxias CEP: 25.071-182


Ligue: Sharlene Rosa - Id 24* 78957276

Isaias – 9523-0030

Ernane (Projeto Legal) - 86494563
Se preferir nos add no msn: gpdcaxias@hotmail.com

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Fotos da Jornada

































































Nova Friburgo sediou encontro regional sobre diversidade sexual


Evento teve como foco gestores de 101

escolas de 15 municípios da região serrana



(SECOM/NF) A ‘1ª Jornada de Educação e Cidadania LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) do Estado do Rio de Janeiro’, que aconteceu nesta quarta-feira, 14, das 9h às 17h no colégio estadual professor Jamil El-Jaick, contou com vídeos, palestras e debates para informar os diretores de escola - o público-alvo do encontro - sobre diversidade sexual nas instituições de ensino público.

Organizada pela Secretaria estadual de Educação em parceria com a Secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, em Nova Friburgo, a Jornada concentrou três coordenadorias regionais serranas, congregando 101 escolas de 15 municípios. O objetivo do encontro, o sétimo realizado até agora, foi sensibilizar os gestores sobre a cidadania da população LGBT, o respeito e a aceitação da orientação sexual dos alunos, o combate à homofobia e a convivência pacífica nas escolas.

A assistente da Coordenação de Diversidade Educacional da Secretaria estadual de Educação, Sílvia Cruz, revelou que, de acordo com o Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (Sepe), o índice de evasão escolar por conta de discriminação sexual é de 20%. Ela espera que os diretores de escolas que participaram da ‘1ª Jornada de Educação e Cidadania LGBT’ atuem como multiplicadores, repassando as discussões para os professores e planejando ações pedagógicas “para enfrentar a realidade existente nas escolas”.

Segundo acrescentou Sílvia, “as discussões sobre diversidade sexual agora viraram política pública”. De fato, a Lei nº 3406, de 15 de maio de 2000, estabelece penalidades aos estabelecimentos localizados no Rio de Janeiro que discriminem pessoas em virtude de sua orientação sexual. E por meio do decreto nº 40822, de 2007, foi constituída a Câmara Técnica para a elaboração do programa estadual de combate à homofobia e promoção da cidadania da população de lésbicas, gays, bissexuais travestis e transexuais.

Participaram da Jornada em Nova Friburgo, o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria estadual de Assistência Social, Cláudio Nascimento e Silva; a coordenadora de Diversidade Educacional da Secretaria estadual de Educação, Rita de Cássia Rodrigues da Silva; a coordenadora do Centro de Referência e Combate à Homofobia de Nova Friburgo, Sílvia Furtado, e o vice-presidente do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT.


A que serve a discriminação

Maurício Siaines (*)

Os jornais, de segunda-feira, dia das crianças, trouxeram a notícia de proibição de uma parada gay no município de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Segundo o jornal O Dia, o prefeito Zito, de Caxias, disse o seguinte: “Não tenho nada contra o homossexualismo, mas contra eventos que apresentam um certo tipo de conduta contra os valores da família.” Aí está algo que precisa ser melhor esclarecido. O que seriam “valores da família”? É preciso definir muito claramente esse tipo de questão, se não se quiser cair em prática de discriminação, o que é proibido pela lei 3406/2000. Manifestações de erotismo seriam contrárias aos tais valores? E que espécie de erotismo? Afinal, imagens eróticas também são até vendidas como atração turística de carnaval. É preciso definir com clareza o que é atentado ao pudor e o que não é, sempre considerando como mudam as coisas nessa área. É preciso cuidado, porque a discriminação alimenta a violência.
Discriminação e violência andam de mãos dadas. É a partir da discriminação que são tomadas as atitudes mais bárbaras, como o extermínio de judeus na Europa durante o nazismo. Mas, não fiquemos só com um problema que se manifestou do outro lado do Atlântico há mais de 70 anos. A discriminação está nas atitudes que um grupo assume em relação a outro, tratem-se esses grupos de pessoas com essa ou aquela cor da pele, esse ou aquele desejo sexual, ou mesmo diferentes grupos de torcedores de futebol.
Temos no Brasil um modo curioso de manifestar a discriminação: a cordialidade. O escravo doméstico é considerado quase da família branca, mas sempre na condição de apêndice. Nunca como sujeito de direitos, mas como objeto da bondade do senhor.
No dia 28 de agosto foi a noite de premiação do Festival Estudantil de Poesias de Nova Friburgo promovido pela Sociedade Musical Euterpe Lumiarense, localizada em área rural do município. O teatro do Suspiro lotou. Mais de 600 pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos. O tema desse festival foi discriminação. Participaram estudantes do ensino fundamental da rede pública e privada, escolas estaduais e municipais.
A proibição da parada gay de Caxias demonstra como é oportuna a discussão sobre discriminação, como propôs o festival de poesias de crianças e jovens. Mostra como é importante o tema ser levado às escolas, que é o espaço onde se podem criar os meios culturais para se vencer esse problema.

(*) Jornalista
mauriciosiaines@gmail.com

Fonte: www.avozdaserra.com.br

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Caravana de Nova Friburgo rumo à Parada de Niterói 2009











A diversidade sexual e a educação é tema de jornada que acontecerá em Nova Friburgo

A 1ª Jornada de Educação e Cidadania LGBT- RJ e o Enfrentamento da Homofobia busca capacitar gestores na educação

Nova Friburgo será sede para o encontro da 1ª Jornada de Educação e Cidadania LGBT- RJ e o Enfrentamento da Homofobia, que tem como objetivo a consideração de que a construção da política pública estadual de combate à homofobia e a promoção da cidadania da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, no que diz respeito à Rede Estadual de Educação Pública, deve se orientar na promoção de políticas públicas para o reconhecimento, o respeito a valores da cultura de paz, de não violência, à diversidade e a não-discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.

O evento tem como objetivo de informar gestores de educação pública estadual sobre o Programa Estadual Rio Sem Homofobia, em processo de implantação e sobre as políticas e ações do Programa, no âmbito da educação, para promoção da cidadania de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, e ainda, sensibilizar e mobilizar a gestão pública da educação estadual para aplicação das políticas e ações nas unidades escolares entre 2009 e 2014.

A 1ª Jornada de Educação e Cidadania LGBT e o Enfrentamento da Homofobia, foi dividida em 09 encontros regionais, nos 08 pólos da educação pública estadual, abrangendo as 30 coordenadorias regionais e mais o Pólo da Coordenadoria Especial de Unidades Escolares Prisionais Sócio-Educativas; considerando as deliberações da 1ª Conferência Estadual de Políticas Públicas para LGBT do Rio de Janeiro, decreto de janeiro de 2008, e da Câmara Técnica para elaboração do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, decreto de junho de 2006.

Através de uma metodologia que inclui apresentação de vídeos, conferências, mesa-redonda, entre outras atividades, o encontro que será voltado para diretores de escolas regulares que oferecem ensino médio e educação de jovens e adultos e diretores das unidades prisionais e sócio-educativas. Estarão presentes representantes de Secretaria de Educação do RJ, Assistência Social em Diretos Humanos, Superintendência de Direitos Individuais Coletivos e Difusos, Projeto Papo Cabeça, Projeto Entre Garotos, Laços e Acasos, Grupo Arco-Íris, Conselho Estadual LGBT-RJ, Associação de Travestis e Transexuais do Rio, Comissão de Direitos Humanos da OAB-RJ, Instituto Sara Kubitschek, Centro Latino America de Direitos Humanos e Sexualidade da UERJ entre outros.

A realização da Jornada em Nova Friburgo conta com o apoio de Centro Regional de Prevenção e Combate à Homofobia – Hanna Suzart e o Movimento da Diversidade Sexual na Serra – Mover-se. O evento será realizado nesta quarta, 14 de outubro, das 9h às 17h, no Colégio Estadual Jamil El-Jaick, rua Dr. Euclides Sólon Pontes, 33 – Centro. Informação: (22) 2521 2266, Coordenadoria - Serrana I, II e III.

Homofobia = rejeição + ódio + aversão + discriminação + violência contra LGBT

Organização:

Informações: (22) 9102-4760 / 9816-3938/ 9858 -0333/ 9204-3641 E-mail: moverse@yahoo.com.br


Realização:

Grupo Mover-se – Movimento da Diversidade Sexual na Serra


Apoio:
Prefeitura de Nova Friburgo
Centro Regional de Prevenação e Combate a Homofobia Hanna Suzart
Av. Alberto Braune 223, Centro - Nova Friburgo - RJ
(22) 2523 7907 friburgo.lgbt@hotmail.com
Governo do Estado do RJ
SEASDH
SUPERDIR
Grupo Arco-Iris
Loading...